Futuro bispo chega a Corumbá e diz que vai trabalhar de “coração aberto”

O monsenhor João Aparecido Bergamasco, nomeado futuro bispo da diocese de Corumbá, veio à cidade para as comemorações da Padroeira, Nossa Senhora da Candelária, cujo dia é celebrado neste sábado (02). Em entrevista ao Diário Corumbaense, ele disse estar contente em servir a região pantaneira, que conta com oito paróquias e um Santuário, o Nossa Senhora Auxiliadora. Também destacou a importância de dar continuidade aos trabalhos feitos frente à diocese, nos últimos 14 anos, pelo bispo dom Segismundo Martinez Alvarez.

“Na chegada a cidade, quero ir conhecendo a diocese, todas suas comunidades, padres e seus movimentos pastorais, uma caminhada bonita feita durante todos esses anos. Chego com o coração aberto tendo esse povo acolhedor em meu coração desde já”, frisou.

João Bergamasco lembrou que ao receber a notícia da nomeação para bispo ficou muito surpreso com a responsabilidade, mas que se sentiu pronto para fazer um bom trabalho. “Fui pego de surpresa quando recebi a notícia da nomeação de bispo e ainda mais com destino a Corumbá. Tive prazo de um dia, rezei e pensei muito, e vi que era um chamado de Deus a nomeação do papa Francisco. Fiquei muito contente”, contou ao acrescentar ter uma experiência pastoral e isso o ajudará ainda mais nesse novo desafio. “Essa experiência tenho tanto na formação dos seminários, como na comunicação, nas paróquias, pastoral, desde o Sul, em Porto Alegre até Manaus, passando por Rondônia, Paraná e até mesmo Mato Grosso do Sul. Então, toda essa experiência ajuda a gente a ter uma visão pastoral e acrescentar uma coisa boa”, completou.

Sobre a forte devoção religiosa do povo pantaneiro, o novo bispo comentou: “Isso é de uma riqueza, uma maneira de o povo manifestar sua fé e toda sua riqueza espiritual, e através disso que temos a intenção de buscar a acrescentar algo na proposta de evangelização.” declarou.

O monsenhor terá pela frente 24 anos como bispo, depois de ser empossado, fator que lhe remete esperança em poder servir e ajudar o povo, tendo sempre como princípios servir à igreja católica. “O evangelho é destinado para todas as pessoas e pela escuta e acolhimento é que você forma a igreja-comunidade. A igreja não caminha sozinha, pois quando você se propõe em fazer o bem, há união com todas as pessoas que fazem o bem, promovendo a paz, justiça, defendendo a vida”, falou.

Além disso, João Aparecido Bergamasco deseja ter uma proximidade maior com comunidades das regiões da parte alta, ribeirinhas e assentamentos. “Temos que ser próximo do povo e caminhar junto com ele, e através do diálogo vamos buscando saídas e nossos trabalhos serão visando essas localidades também”, afirmou o novo bispo se referindo às parcerias por meio de políticas públicas. “Vamos ajudar os órgãos públicos, abrindo caminhos e nos aproximando, se fazendo presente como igreja. Diante disso, sempre contamos com a colaboração da comunidade para levar a boa nova do evangelho à essas pessoas”, finalizou.

Ordenação

O monsenhor João Aparecido Bergamasco será ordenado bispo no dia 03 de março, na cidade de Umuarama (PR) pelo mesmo bispo que o crismou e que o ordenou padre. Em Corumbá, ele chega no dia 23 de março, quando toma posse em definitivo na diocese em uma celebração às 19h, no Santuário de Nossa Senhora de Auxiliadora, que contará com a presença do arcebispo de Campo Grande, dom Dimas Lara Barbosa. A partir de então, ele passará a ser chamado de dom João Bergamasco.

Trajetória

Padre João nasceu em 15 de maio de 1967, em Marabá município de Tuneiras D’Oeste (PR). Ele era vigário na paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Fátima do Sul (MS). Estudou Filosofia no Instituto de Filosofia e Teologia Santa Maria, em Santa Maria (RS) de 1987 a 1988 e Teologia no Instituto de Filosofia e Teologia Santa Maria, em Santa Maria (RS) de 1990 a 1993. Fez o curso de Formador para a Vida Religiosa e Consagrada no Instituto São Tomás de Aquino, de Belo Horizonte (MG), de 2009 a 2010.

Após sua ordenação, foi enviado em missão ao Estado de Rondônia onde trabalhou como vigário geral, de 1994 a 1995, na paróquia São Francisco de Assis, em Ariquemes. Foi o idealizador do Santuário Diocesano de Santo Antônio, em Iporã. Também integrou o Conselho Presbiteral. Em Cerejeiras (RO) onde permaneceu até o final de 1998, foi diretor da Rádio Comunitária FM, assessor da Pastoral da Juventude da área episcopal. Em 2001, assumiu como reitor do Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Manaus (AM). Foi reitor do seminário São Vicente Pallotti em Palotina (PR) até o fim de 2010. Em 2011 assumiu a missão de ser diretor financeiro da gráfica e editora Pallotti, em Porto Alegre (RS). Em 2012 voltou à Manaus (AM) onde exerceu vários serviços. Em agosto de 2017 assumiu a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Fátima do Sul.

Fonte: diarionline.com.br

Compartilhe: